sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Observação: Atlético de Madrid

O jogo observado foi o encontro da LC At. Madrid vs Zenit. O At. Madrid não contou com Diego Costa e Raul Garcia. Nos seus lugares jogaram Adrián e Arda Turan.

1. Sistema. A defender é evidente: 4-1-4-1. O ataque será explorado nos pontos seguintes.
vs Zenit
Muita organização, linha quase perfeita.

2. Transição ofensiva com processo interessante. Primeiro, comparando o que foi dito acima e as imagens anteriores com as posições médias disponibilizadas pela UEFA notam-se algumas diferenças.

Primeiros 15 minutos de jogo: Arda Turan no meio. O resto sensivelmente igual ao mostrado.
Primeira Parte (e sensivelmente igual às posições médias no final): já não se nota tanto a alteração
da posição de Arda Turan, mas ainda parece estranho.

Então, qual a razão deste posicionamento?

Lance no seguimento de uma recuperação de bola
Lance no seguimento de um pontapé de baliza,
com condução para o corredor central.

Em transição ofensiva, Turan faz uma diagonal da direita para o corredor central ou mesmo para o lado esquerdo.
Do lado contrário, não há esse movimento. Adrián limita-se a juntar-se a Villa no meio. Quem se aproxima mais desse movimento é Koke. Como interior esquerdo aparece muitas vezes em zonas mais próximas do corredor direito, mesmo em organização.

3. Organização Defensiva. Bloco baixo, muito central. Lentidão a "bascular", torna fácil a entrada da bola no corredor lateral quando a passe é feito de posições recuadas, principalmente no lado de Turan.
Início da jogada do lado direito ofensivo, passe para corredor central
 e depois o passe é feito para Ansaldi que recebe junto à linha lateral e
consegue conduzir para o meio no espaço entre-linhas.

Outra movimentação normal da equipa em organização defensiva é a saída do interior do lado da bola na contenção. Quando isso acontece, Suárez dá cobertura ocupando a posição deixada pelo colega na linha do meio-campo e no caso de Suárez ficar mais próximo desse interior, o outro ocupa a posição "6".
Koke sai à bola, Suárez ocupa a sua posição na linha.
Koke contém, Suárez dá cobertura a Koke e Gabi dá cobertura a Suárez.

Equipa com processos interessantes tanto defensivos como ofensivos. A entrada de Diego Costa não altera muito os processos (Villa ocupa a posição de Adrián e Costa a de Villa), mas gostava de ver com Raúl García se a dinâmica que Arda executa também acontece.


PS: A intenção era fazer vídeos para tornar mais perceptível a análise a alguns movimentos, mas tive alguns problemas com o editor e decidi deixar com as imagens para não atrasar mais a publicação do texto.

Nota não relacionada: Um comentário (ao texto sobre os coeficientes da UEFA) não foi publicado quando foi enviado por não ter recebido mail associado ao mesmo. Só ontem o encontrei na página de moderação e aceitei.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Fala Bruno de Carvalho

«Os clubes rivais do Sporting continuam a ter sucesso desportivo e receitas compatíveis com o investimento que fazem no futebol.
Para lhe responder a isso, tínhamos de estar de acordo sobre o que quer dizer “receitas compatíveis com a sua performance desportiva”. Eu pergunto o seguinte: li que um clube em 10 anos fez 500 milhões em vendas...

O Futebol Clube do Porto.
...então esse clube não devia ter passivo nenhum. Devia estar numa situação financeira muitíssimo confortável... e não é a realidade de nenhum dos três grandes. Há realmente clubes que conseguem uma receita muito grande. Se são clubes que historicamente até avançam na Liga dos Campeões; se são clubes que, por época podem fazer 60, 70,100 milhões de vendas; e esse clubes estão em situações de passivo similares à que nós estávamos, então se calhar se nós pegarmos nessas vendas e virmos o que fica nos clubes, veremos que este ano o Sporting fez a nível de receita real para o clube um valor superior...

Para onde vai o dinheiro?
É essa a situação. Qual é a percentagem dos jogadores, qual é o nível de comissões pagas, de quem é, de facto, o benefício do jogador Se calhar posso fazer uma venda de 500 milhões e ficar com uma receita para o clube de 10 milhões. Ou fazer uma venda de 20 milhões e ficar para o clube 15 milhões. Parece-me que há clubes que têm passivos grandes para aquilo que são as suas receitas. Se calhar é preciso regulamentar tudo isto, dar transparência para as pessoas tentarem perceber quem é quem, qual é o jogador, que acordos há com os fundos, com os agentes, e quem é que usufrui dos milhões todos de vendas e compras que se vão fazendo. Se o Sporting gastou 45 milhões em jogadores e pagou 15 milhões em comissões, isso é mais de 30%. Quando o normal de uma comissão seria 10%.»

Muitas questões importantes respondidas por Bruno de Carvalho.
Finalmente alguém que parece defender a transparência no futebol nacional.
Retirado do blogue Cacifo do Paulinho (suponho que seja a entrevista completa ao Jornal de Negócios).

Fantástica entrevista onde Bruno de Carvalho nada esconde. Muito bem o Sporting ao nível da comunicação.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Pozuelo (Swansea)

Já me tinha chamado a atenção num jogo anterior e ontem teve duas acções importantes nos golos do Swansea. Decidi então, rever esse primeiro jogo e fazer um vídeo com alguns lances dele.

Tem 22 anos, fez a formação no Bétis e chegou este ano à Premier. Laudrup não o tem utilizado muito e quando ele entra em campo é sobretudo para jogar na ala, mas é um jogador essencialmente de jogo interior, procurando sempre o corredor central. Boa condução, boa recepção, bom passe e simplifica mais do que complica. Não deverá ganhar o seu espaço na selecção espanhola, mas será certamente um jogador a observar.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Iniesta

3x8 passa a 1x0 com 1 passe.

Alexis Sanchez acaba por falhar o golo, mas o passe é notável. Assinatura do "Ilusionista" Iniesta.
No vídeo aos 1:56.

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Observação: Juventus

Sem mexer muito no plantel, a Juventus continua a ser o maior candidato ao título em Itália. Decidi ver o jogo com a Lázio para ver como estava a equipa este ano.

1. Sistema: 3-5-2 em ataque, 5-3-2 em defesa. Igual ao ano passado, agora com Tévez no onze e neste jogo com Pogba no lugar de Marchisio.
Lichsteiner e Asamoah encarregues de todo o corredor.
Vidal é o elemento mais móvel na zona central.
2. Problemas com movimentações horizontais na segunda linha. Tradicionalmente, lateral do lado da bola sai ao extremo, interior do lado da bola sai ao lateral, Pirlo sai ao jogador na zona central. Quando a bola vem da ala para o interior, tem que existir uma dinâmica de compensações executada rapidamente. Mas mesmo que seja perfeitamente executada, há um problema: se o interior do lado oposto e o lateral estão a reduzir espaços no meio e não há extremos (nem nenhum dos avançados recua), então o lateral (ou extremo) adversário do lado oposto consegue receber a bola com muita liberdade quando é feita uma mudança de lado de jogo. Como se pode ver no lance do golo da Lazio, Pogba fica com 2 opções: ou fecha no meio e dá muito espaço a González ou fica mais próximo da lateral e dá o meio a Hernanes. Acabou por ficar a meio caminho e Hernanes rematou, no ressalto Klose marca. Também Pirlo não fica muito bem na imagem. Com cobertura a Vidal assegurada, procurou tapar a linha de passe para Hernanes, mas chegaram dois passos atrás por parte do brasileiro para retirar Pirlo da jogada. Contra uma equipa de bons rematadores de meia distância é muito perigoso e logo a seguir ao golo, a Lazio criou 2 situações de perigo por Lulic e Radu (também no vídeo). Não sou grande fã deste sistema de jogo e resolvia esta situação trocando-o. Ainda assim, outra maneira de o resolver poderia ser com a presença do lateral do lado oposto na linha de meio-campo. Ficariam duas linhas de 4 jogadores, o que tornaria muito mais fácil cobrir todo o espaço (na horizontal).
video

3. Organização Ofensiva: as entradas de Vidal e a estranha adaptação da Lázio à Juventus. Tremenda a importância do chileno na criação de situações de perigo, como se pode ver no vídeo abaixo.



Estranha a tentativa de encaixe da Lazio na Juventus...
Pirlo e os centrais com muita liberdade, não é pois de estranhar que Bonucci tenha feito 2 assistências. E Hernanes a seguir Vidal é tarefa hercúlea. Também não se estranham os dois golos do chileno. Pode-se ver também no último vídeo (pausando aos 45 segundos) que a distância entre Lulic (que está na linha defensiva no segundo golo) e Radu é enorme. Se Radu não tem como obrigação estar perto de nenhum dos avançados, poderia preocupar-se mais com as entradas de Vidal, aproximando-se mais de Lulic, e também Lulic deveria procurar defender mais interior.

sábado, 7 de setembro de 2013

Observação: Dnipro

Jogadores talentosos e um treinador com grande historial reunidos numa equipa. Resolvi então ver o que mostrava o Dnipro da Liga Ucraniana.

1. Sistema: 4-4-2 (vs Shakhtar)
Seleznev (11), Zozulya (18);
Konoplyanka (10), Rotan (29), Kankava (6), Matheus (99);
Strinic (17), Cheberyachko (14), Mazuch (3), Fedetsky(44);
Boyko (71)

2. Muita agressividade dos 2 avançados: Seleznev e Zozulya. Não tenho informações estatísticas, mas são bem capazes de acabarem todos os jogos amarelados. Não desistem de nenhum lance, exagerando por vezes na agressividade (tornando-se violência). Podia ser um factor melhor trabalhado/aproveitado por Juande Ramos.

3. Primeira fase de organização defensiva. No jogo observado, houve muita dificuldade do Shakhtar para entrar no bloco pela zona central. 3 linhas bem definidas: 4 defesas, 4 médios, 2 avançados. Extremo do lado em que está a bola aproxima-se do lateral.
video
Nota-se alguma intenção de não deixar a bola sair pelo médio centro mais criativo (Stepanenko tinha liberdade para receber, mas Alex Teixeira era pressionado). Mais estranha parece a relação espacial entre os 2 médios centro: Rotan e Kankava. Como se vê no último momento mostrado no vídeo acima, abriram muito espaço na zona central. Não foi constante e poderá ter sido algum erro individual, ainda assim, é uma situação a rever. Para solucionar esta situação, a posição do avançado do lado contrário ao da bola podia ser revista, recuando para uma posição mais central.

Possível solução para evitar entrada no bloco através do espaço entre os 2 médios centro

4. Dupla Rotan-Kankava: muito interessante. Kankava mais posicional e defensivo, Rotan mais organizador de jogo. Ambos confortáveis com a bola, especialmente Rotan. Grande jogador que passou ao lado dos clubes da Europa Ocidental. Ambos fizeram toda a carreira na liga Ucraniana. Em fase final de carreira é pouco provável que isto se altere. Boa notícia para os adeptos do Dnipro.

5. Talento em abundância. Não é só a dupla do meio-campo que é talentosa. Neste jogo jogaram nas alas Matheus (ex-Braga) e Konoplyanka, mas normalmente joga Giuliano no lugar de Matheus. Ao contrário de Rotan e Kankava, ambos têm 23 anos e poderão ter uma oportunidade num palco maior nas próximas épocas. Também na frente a dupla Seleznev-Zozulya oferece muito mais que agressividade. Bruno Gama e Kalinic são outras opções de qualidade.

6. Organização Ofensiva: estranho a intenção de deixar a dupla de médios muito longe dos 4 jogadores mais avançados. Por vezes, lembra o Benfica de Jorge Jesus com a opção pelo jogo exterior e pela necessidade de resolver problemas através das individualidades. Mais uma vez a minha opinião é que não é necessário pelo talento dos jogadores.
Os 2 médios centro normalmente ficam atrás dos laterais.
Laterais normalmente dão largura e extremos jogam mais por dentro.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Ozil

Mourinho nos tempos do Real Madrid:
Mourinho saw it. "Özil makes things very easy for me and for his team-mates with his football vision and the decisions he makes," he said during his time in charge at the Bernabeu. "It's easy for him to make decisions on the pitch, which is actually the hardest thing there is in football. It is an art to make football look easy and he has that quality." (SkySports)

Mourinho a comentar a transferência:
"O Özil é único. Não há uma cópia dele, nem sequer uma má. É o melhor número 10 do Mundo. Tornava as coisas mais fáceis para mim e para os seus colegas devido à sua visão de jogo. Todos o querem e nele é possível ver um pouco de Figo e de Zidane." (Record)

O que os adeptos do Real Madrid pensam e Florentino Perez não quis ouvir:


Pena Podolski ter-se lesionado... E Mourinho atento «explica por que razão o Chelsea declinou a proposta por Demba Ba. "Não aceitamos, porque com a contratação de Özil, o Arsenal tornava-se candidato ao título".» (OJOGO)