sábado, 7 de setembro de 2013

Observação: Dnipro

Jogadores talentosos e um treinador com grande historial reunidos numa equipa. Resolvi então ver o que mostrava o Dnipro da Liga Ucraniana.

1. Sistema: 4-4-2 (vs Shakhtar)
Seleznev (11), Zozulya (18);
Konoplyanka (10), Rotan (29), Kankava (6), Matheus (99);
Strinic (17), Cheberyachko (14), Mazuch (3), Fedetsky(44);
Boyko (71)

2. Muita agressividade dos 2 avançados: Seleznev e Zozulya. Não tenho informações estatísticas, mas são bem capazes de acabarem todos os jogos amarelados. Não desistem de nenhum lance, exagerando por vezes na agressividade (tornando-se violência). Podia ser um factor melhor trabalhado/aproveitado por Juande Ramos.

3. Primeira fase de organização defensiva. No jogo observado, houve muita dificuldade do Shakhtar para entrar no bloco pela zona central. 3 linhas bem definidas: 4 defesas, 4 médios, 2 avançados. Extremo do lado em que está a bola aproxima-se do lateral.
video
Nota-se alguma intenção de não deixar a bola sair pelo médio centro mais criativo (Stepanenko tinha liberdade para receber, mas Alex Teixeira era pressionado). Mais estranha parece a relação espacial entre os 2 médios centro: Rotan e Kankava. Como se vê no último momento mostrado no vídeo acima, abriram muito espaço na zona central. Não foi constante e poderá ter sido algum erro individual, ainda assim, é uma situação a rever. Para solucionar esta situação, a posição do avançado do lado contrário ao da bola podia ser revista, recuando para uma posição mais central.

Possível solução para evitar entrada no bloco através do espaço entre os 2 médios centro

4. Dupla Rotan-Kankava: muito interessante. Kankava mais posicional e defensivo, Rotan mais organizador de jogo. Ambos confortáveis com a bola, especialmente Rotan. Grande jogador que passou ao lado dos clubes da Europa Ocidental. Ambos fizeram toda a carreira na liga Ucraniana. Em fase final de carreira é pouco provável que isto se altere. Boa notícia para os adeptos do Dnipro.

5. Talento em abundância. Não é só a dupla do meio-campo que é talentosa. Neste jogo jogaram nas alas Matheus (ex-Braga) e Konoplyanka, mas normalmente joga Giuliano no lugar de Matheus. Ao contrário de Rotan e Kankava, ambos têm 23 anos e poderão ter uma oportunidade num palco maior nas próximas épocas. Também na frente a dupla Seleznev-Zozulya oferece muito mais que agressividade. Bruno Gama e Kalinic são outras opções de qualidade.

6. Organização Ofensiva: estranho a intenção de deixar a dupla de médios muito longe dos 4 jogadores mais avançados. Por vezes, lembra o Benfica de Jorge Jesus com a opção pelo jogo exterior e pela necessidade de resolver problemas através das individualidades. Mais uma vez a minha opinião é que não é necessário pelo talento dos jogadores.
Os 2 médios centro normalmente ficam atrás dos laterais.
Laterais normalmente dão largura e extremos jogam mais por dentro.

Sem comentários:

Enviar um comentário